Espírito Livre

4 dezembro 2009

Recentemente me disseram que se continuasse parado meu jardim ia ficar seco. Talvez seja o caso de contratar um jardineiro… A verdade é que não quis escrever as ranzinzices que me ocorriam ou me faltava o tempo para escrever sobre as coisas interessantes. Vamos a uma delas.

Uns dias atrás, por acaso, deparei com a Revista Espírito Livre, uma publicação online em PDF que trata de software livre e já está em sua 8ª edição. Acho que particularmente interessantes para o público wiki, ou para mim, são a 3ª  e a 7ª  edições. A primeira por falar de wikis e a segunda por tratar do uso de software livre na educação.

A 3ª edição tem um artigo sobre wikijornalismo e a primeira menção, que eu saiba, ao Wikinotícias em reportagem. Mas a que trata do uso de software livre na educação não fala nem do Wikilivros, nem da Wikiversidade (o artigo sobre universidades e software livre fala sobre a resistência daquelas em adotar estes).

Os senões ficam para:

  • A licença sob a qual o conteúdo é liberado (by-nc-nd). ND? NC eu até entendo, mas ND? Não é conservadorismo e restrição demais para uma revista sobre software livre?
  • A falta de uma revisão mais consistente, que deixa passar, algumas vezes, uma linguagem informal demais para uma publicação que se pretende séria e também erros ortográficos e construções sintáticas esquisitas;

Se se conseguir ignorar isso, vale uma olhada. As demais edições devem interessar aos mais envolvidos com programação e me parece que eles aceitam contribuições.

Já ouviu falar da Wikipédia?

25 julho 2009

Calma. Este não é mais um texto sobre como a Wikipédia é maravilhosa, isso ou aquilo. É claro que quem não esteve em uma caverna sem computador com internet nos últimos 5 anos já ouviu falar da Wikipédia. Queria saber se já estiveram envolvidos em uma conversa sobre a Wikipédia com amigos ou familiares ou até se já ouviram algum desconhecido citá-la.

Eu já. Nominalmente, ela já foi citada em uma palestra a qual eu fui; ela já foi citada por um professor meu;  colegas já falaram sobre pesquisar na Wikipédia; já a vi citada em uma revista de avião, em uma reportagem sobre saladas; e em uma prova de vestibular (“texto da Wikipédia adaptado”) e em vários outros lugares. A Wikipédia é mesmo a enciclopédia pop

É sempre muito estranho ouvir falar dela como “aquele” site da internet que tem as respostas para tudo; ou sobre as misteriosas ligações secretas entre o Google e a Wikipédia;  ou como o exemplo máximo, quase o exemplo por natureza, e maravilhoso de internet colaborativa. Imagino que seja a mesma sensação que um familiar ou amigo de alguém famoso tenha ao ouvir falarem dele ou dela na televisão ou na rua.

Não, em situações como as de cima, eu não saio fazendo propaganda de outros projetos da Wikimedia ou tentando explicar mais sobre ela, ou mais sobre direitos autorais. Não sei se as pessoas querem saber sobre isso e nem quero parecer um maluco.

Primeiro mau sinal: nunca ouvi ninguém dizer que contribui ou contribuiu para a Wikipédia. Nem com uma vírgula. Será que as pessoas sabem mesmo que a Wikipédia pode ser editada por todos? E se sabem por que não o fazem?

Segundo mau sinal: nunca ouvi falarem dos outros projetos da Wikimedia Foundation (já reconheci uma imagem do Commons por aí, é verdade, mas falar ou citar, nunca) e acho que ninguém conhece a “parte da Wikipédia que fala de livros”…

Endereço novo

16 julho 2009

A ideia era antiga, mas eu não tinha tempo para colocá-la em prática. O Blogger desde sempre não me agradou muito como serviço. É incompleto e muito abandonado por uma empresa que tem produtos demais. Daí havia o WordPress com muitos mais e melhores recursos e em código aberto (o que não significa muito para mim além do apoio moral).

A partir de agora, portanto, só estarei contribuindo com uma empresa que planeja conquistar o mundo usando o YouTube,  o Books, o Maps, o Reader (por sinal, a melhor invenção deles), o buscador (claro!) e nada mais. Juro.

O endereço antigo vai continuar no ar (porque há vários resultados no Google para quem procura sobre o Wikilivros ou livros didáticos 😀 e porque eu tenho medo que o roubem. Nah! Mentira).

Só acho estranho, muito estranho (ninguém mais acha?), que o WordPress use o serviço de propaganda do Google, seu maior concorrente, para se manter. Alguém já viu disso por aí? Empresa que faz propaganda do concorrente?

Para os que não querem saber de nada disso de endereços novos, em seguida, voltaremos com a programação normal. Obrigado pela paciência de ler até aqui.